Uma outra visão da Amazônia com o Mirante do Gavião

Durante uma recente estadia na minha região brasileira predileta, descobri o Mirante do Gavião, um hotel surpreendente no meio da natureza, a um pouquinho mais de duas horas de Manaus. Meio lodge de selva e meio hotel design, o conceito agrada amantes de natureza, viajantes em busca de experiência e clientes sofisticados acostumados ao melhor conforto e atendimento.

A arquitetura do hotel é muito diferente de todos os hotéis que já vi na Amazônia. Inspirado dos barcos de madeira tradicionalmente construídos na região, a estrutura redonda dos quartos e do restaurante se integra naturalmente e suavemente no meio ambiente. Nenhuma arvore foi cortada do terreno. A suite familiar de dois andares, que oferece uma vista imperdível sobre o Rio Negro, foi construída em volta de uma castanheira enorme.

Mirante do Gavião. © Foto Sitah

O hotel conta com 7 suites só. O restaurante Camu Camu, cujo cardápio rivalisa com restaurantes de São Paulo, foi criado pela talentosa Chef Débora Shornik, (Restaurante flutuante Flor do Luar em Novo Airão, Caxiri Bistro em São Paulo, e Restaurante Caxiri em Manaus). Débora re-interpreta a cozinha amazonense, homenageando a cultura regional, mistura ingredientes de lá com sofisticação internacional para dar um resultado de cozinha emocionante e refinado. Tudo está nos detalhes, desde a apresentação até os sabores.

O gostoso café da manhã que tomamos na chegada de Manaus já criou o ambiente da nossa estadia: torradas de pão caseiro, bolo do dia e frutas frescas, tudo servido numa louça branca que parecia vir de Limoges 😉

Mirante do Gavião. © Foto Sitah

Mirante do Gavião. © Foto Sitah

As suites são muito confortáveis e spaciosas. Ar condicionado, cama da melhor qualidade, frigo-bar, chuveiro aberto, furó japonês num decor de madeira e detalhes de artesanato típicos. Apesar de todas as atividades que tem a fazer lá, da vontade de ficar no quarto aproveitando da vista sobre as arvores e a floresta. Também foi muito bem pensado pelos proprietários pois quem conhece Amazônia sabe que é importante aproveitar do dia: é bom acordar cedo e dormir cedo! Depois de um dia cheio e cansativo, fica muito agradável voltar para o quarto e descansar confortavelmente.

 

Não fiz muitas atividades lá mas o hotel possui uma programação impressionante de atividades que estão inclusas no preço da diária: city-tour da cidade de bicicleta, incursão no Arquipélago das Anavilhanas, pesca de piranhas, trilha pelos igapós, visita ao flutuante dos botos, focagem de jacaré… a agenda fica bem lotada.

Mas visitei a fundação Almerinda Malaquias em Novo Airão onde os jovens da cidade aprendem o design da madeira (tem muitas peças muito lindas com inumeráveis tipos de madeira). Também, mergulhei no Rio Negro – isso não tem preço – passei horas na piscina com minha princesinha e fiz stand-up paddle. Nada mal né? 😉

Veja o filme do projeto arquitetural na You Tube, é muito legal!

 

Categorias:Hoteis, Viagem

1 reply »

Deixar um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s