Olhares Cruzados França-Brasil sobre alimentação: o prazer em comum

O evento já aconteceu em Nova Iorque, no Japão, na Grécia e pela primeira vez no Brasil, no final de novembro passado. Promovido pelo Governo francês, a conferência tinha o âmbito de falar sobre as tendências do setor agro-alimentar e sobre os desafios do setor no Brasil e na França. O famoso sociólogo francês da alimentação Claude Fishler, especializado em Antropologia da Comida e Alimentação, abriu a conferência mostrando as diferenças entre a França, os Estados Unidos e outros países.

comer-a-alimentacao-de-franceses-outros-europeus-e-americanos-fischler-claude-masson-estelle-1154-3067414-GRetomando a temática do livro que ele publicou em 2007 (aqui no Brasil, foi publicado pelo SENAC), o especialista fez uma comparação entre os hábitos alimentares dos Franceses, Europeus, e Americanos e mostrou as diferenças culturais entre esses países. No estudo, se vê que cada povo acha o outro estranho: para os norte-americanos, os franceses mostram uma rigidez bizarra: eles comem em horários fixos, com refeições seguindo um ritual rigorosamente definido e ainda passam horas na mesa. O que choca o francês, é que os americanos comem  rápido, muitas vezes trabalhando ao mesmo tempo, quase sempre fazendo alguma coisa e muito pouco de forma agradável.

Entre outros fatos interessantes, mostrou que o Brasil, em termos de consumo, é bem perto da França quando se trata de comer. Enquanto os Americanos se “alimentam” e tem a prioridade de não gastar tempo inutilmente, os Brasileiros, gostam de tomar justamente o tempo e comer em grupos, de colegas, amigos ou familiares. Fato que eu tinha reparado quando cheguei no Brasil.

A nutricionista francesa Sophie Deram continuou a conferência falando dos desafios que o Brasil Livro_SDeramvai ter que enfrentar nos próximos anos em termos de alimentação devido aos fatores que o mundo conhece: urbanização, mulheres trabalhando cada vez mais – e com menos tempo para cuidar das refeições -, aumento dos lares mono-parentais ou de solteiros, etc. Embora o ministério brasileiro da Saúde acabou de publicar o Guia Alimentar para a população brasileira – o que foi saudado no ramo – a nutricionista doutora da USP, advertiu contra os excessos e particularmente as dietas. Acabando de lançar o livro “O peso das dietas”, ela combate todo tipo de dieta que tira o prazer de comer. Segundo a francesa, especialmente durante esse período de festas, “o segredo é de comer com prazer, sem se jogar na comida: saborear lentamente e não com pressa e engolindo com excesso. O corpo consegue sem problema lidar com um excesso de uma vez, ele não vai necessariamente armazenar se você se comporta com calma e prazer.”

Para ilustrar o intercâmbio entre nossos dois países e a paixão que existe entre chefs franceses e chefs brasileiros o delicioso coquetel de encerramento do evento foi realizado a quatro mãos pelo Chef Laurent Suaudeau com ajuda do jovem e talentoso Chef Onildo Rocha, do Restaurante Roccia em João Pessoa, descoberto pelo próprio Chef Laurent. Conceberam um menu franco-brasileiro propando um dialogo entre os ingredientes daqui, o know-how de lá, a cultura daqui e o patrimônio de la. E foi um sucesso!

menu-olhares-cruzados-web2
Menu Coquetel Conferência Olhares Cruzados

Nas degustações de alta gastronomia, acontecem – as vezes – explosões das papilas, emoção gustativa que faz lembrar o prato para sempre. Quando acontece, é um milagre.

_MG_7212
Medalhão de lagosta, Chef Onildo Rocha
_MG_7202
Arroz vermelho de polvo por Chef Onildo Rocha
_MG_7210
Vieira ao molho de Champagne e caramel de champignon – Chef Laurent Suaudeau

Neste coquetel, eu tive dois milagres. O primeiro foi com o Medalhão de lagosta, na infusão de umbu-caja, preparado por Chef Onildo Rocha. O equilíbrio entre o ácido do embu-caja e o gorduroso da lagosta foi incrivelmente bem feito.

O segundo foi a vieira preparada pelo Chef Laurent Suaudeau, ao molho de champagne e caramel de champignon, de uma suavidade e leveza memoráveis.

O coquetel contou também com uma variedade de Queijos da França disponíveis no Brasil, desde Brillat-Savarin até Comté, Camembert, Brie ou Fourme d’Ambert. Outras especialidades tipicamente francesas cada vez mais presentes na cultura brasileira.

Deixar um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s