O francês Allard idealiza deslumbrante exposição de arte em São Paulo

DSCN8531O empreendedor francês Alexandre Allard, responsável pela reforma do palácio Royal Monceau em Paris, e que se dedica a projetos misturando imobiliário e cultura, criou emoção em São Paulo desde a inauguração recente da Exposição de arte contemporâneo “Made by… Feito por Brasileiros” que está acontecendo no antigo Hospital Matarazzo. O lugar que faz parte da historia da metrópole – na maternidade do hospital nasceram 500.000 Paulistanos – é palco de uma “invasão criativa” com instalações temporárias montadas especialmente para o espaço de 27.000 metros quadrados.

DSCN8527
Instalação do Arne Quinze

Não menos que 111 artistas brasileiros e de vários outros países participam da mostra de arte contemporâneo que vai ficar até 12 de outubro. A mais espetacular, do artista Arne Quinze, surpreende o visitante já na chegada!

DSCN8565

DSCN8561

DSCN8562

DSCN8551

DSCN8552

Fiquei apaixonada por essas instalações do Studio Drift: poesia, delicadeza e técnica.

Studio Drift
Studio Drift
DSCN8542
Studio Drift
DSCN8537
Studio Drift
DSCN8534
Tunga
DSCN8535
Detalhe da instalação de Tunga

DSCN8547DSCN8591

 

DSCN8572

Arte indígena em destaque com a Tribo Huni Kuin DSCN8574

DSCN8581

DSCN8573

 

DSCN8582
VIP lounge Casa Vogue com Móveis Amazônia

DSCN8595

DSCN8597
Janaina Tschäpe
DSCN8584
Palmeiras feitas com pneus por Douglas White

A ideia era valorizar o patrimônio e marcar a transição entre o espaço antigo e o futuro projeto, durante a espera de autorizações da cidade para as reformas do prédio. O grupo francês Allard que comprou o lugar em 2011, tem projeto de construir um imenso complexo integrando arte, cultura e lifestyle.  Se fala de um Centro Criativo, de um hotel de luxo conceito pelo arquiteto  Jean Nouvel e decorado por Philippe Stark, lojas de luxo e restaurantes gastronômicos.

Estamos em um momento em que se fala muitas vezes de arte como mercadoria

Entrevistado pela revista Veja, o curador da mostra “Made by…Feito por Brasileiros”, Marc Pottier, explicou que a escolha do tipo de exposição site-specific permite ao artista de dar o melhor dele, “em plena confiança, porque é um trabalho que ele vai fazer e vai desaparecer, então não existe a ideia de que a obra um dia possa ser vendida. É uma coisa sincera e generosa”. “Dá uma energia positiva” conclui o francês.

Adorei a experiência, realmente surpreendente e emocionante, exatamente a abordagem intelectual que gosto nesse tipo de exposição. Eu fui domingo de manhã, cedinho antes da chegada dos grupos e era bem fluido! Valeu!

Este slideshow necessita de JavaScript.

 Made by… Feito por Brasileiros
Alameda Rio Claro, 190
Bela Vista, São Paulo
De terça- feira a domingo, das 9h às 17h
(até 12 de outubro) – grátis

Deixar um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s