Viajar com cãozinho

DSCN0247Como muitos franceses, eu adoro cachorros. Meu companheiro peludo de sempre se chama Achille e é um VIP – Very Important Pet. Quando escolhei meu bebê quatro anos atrás eu sabia que ele me acompanharia em tudo lugar e que iria ser um DOG-TROTTER! Onde eu vou, Achille vai.

Porem, viajar com cachorro não está fácil e pode dar problemas. Posso afirmar que já experimentamos muitas situações e que depois de 4 anos de viagens pelo mundo, de Montreal até São Paulo passando por Nova Iorque, Miami, Paris, Bordeaux, Itália, Manaus, Rio de Janeiro e Guiana francesa, temos uma experiência bem grande para compartilhar!

Primeiro, recomendo de pensar bem nas realidades que pode envolver de viajar com cachorro. Por três motivos.

1. Pode sair caro: Em todos os casos, vai ter que pagar para seu fofinho : suplemento aéreo, suplemento de quarto no hotel, certificado de saúde no veterinário e equipamento especial para viajar, no mínimo.

2. É estressante: finalmente nunca sabe se vai dar certo, se pegou todos os documentos, se seu equipamento esta ok com a companhia aérea, se vai ser autorizado pelas autoridades aéreas, hoteleiras e sobre tudo sanitárias. Minha dica é evitar improvisação. Você tem que se documentar e se informar muito bem sobre o que é permitido ou não e sobre as regras que mudam de um pais por outro ou de uma companhia aérea por outra.

3. Toma tempo: a agenda fica diferente quando viaja com cachorro. Tem mais um “ser” para cuidar e sem você, ele está perdido; então como parte da família, ele tem necessidades e você tem que respeitar elas. Se não é possível, melhor deixar seu querido nas mãos de amigos ou parentes que vão cuidar dele com todo carinho.DSCN0029

Uma vez checado essas condições e concordando com elas, você esta pronta(o) para tentar a aventura que pode ser muito agradável porque apesar das dificuldades, os momentos que você vai passar com seu melhor amigo vão ser memoráveis e vão adicionar um toque muito especial a suas peregrinações.

Dicas

Preparação e informação

Na hora de reservar, pergunte todo para seu agente de viagens e faça um double-check no site da companhia aérea ou do hotel. Anedota : uma vez que viajava de São Paulo para Manaus, meu agente de viagens errou na reserva e me colocou na companhia aérea que não aceitava animais em cabina, só no porão. Depois de meia hora de incompreensão e desespero no check-in da Gol, acabei cancelar minha viagem e voltei para casa. « Nunca – eu disse ao atendente no aeroporto– meu Achille vai viajar no porão de um avião ». Isso é uma escolha pessoal mas quando o cachorro exceder o peso de 5 kg, ele não pode viajar em cabina. – Viajar na cabina ou não viajar, that is the question!

Reserva

Seu cachorro tem que ter uma reserva. Melhor reservar com antecedência porque algumas companhias aéreas tem quota de cachorros abordo. A Tam por exemplo limita à 2 cachorros por voo. Anedota : eu estava voltando de Montreal, em conexão em Miami. Estava tudo certinho com os papeis só que quando cheguei no check-in, a reserva do Achille não estava mais. Sumiu! Eu nunca soube porque. Se foi o errou do agente de viagens ou da Tam. No final das contas, eu perdi o voo porque duas mulheres tinham chegado antes de mim, cada uma com um yorkshire e elas encheram o quota do voo. Achille e eu, vimos meu marido embarcar, voltamos para o hotel para tomar o voo no dia seguinte (sem nenhum reembolso dos custos amais devido a situação).

Controle veterinário

Na maioria dos casos e para todas as viagens, só tem que ter certeza que o cachorro esta vacinado contra a raiva e que a vacina ainda esta valido. Como é obrigatório, e que tem que renovar a vacina todo ano, nada de anormal até agora. Onde se complica é que tem que ter o original do certificado da vacina com o adesivo do numero de lote com você, durante a viagem. Sem esse papel, o cachorro não poderá viajar. Além disso, a maioria dos países exigem um certificado de boa saúde que seu veterinário poderá emitir sem problema. Cuidado, o certificado geralmente não pode ser emitido antes de 10 dias da data de viagem. O melhor é de obter este certificado 2 ou 3 dias antes de viajar pois desse jeito você não precisa refazer outra visita se sua viagem acontece no Brasil e se demora menos que 10 dias.

Não esqueça o chips eletrônico. Hoje todos os cachorros tem esse chips que identifica o animal imediatamente com scanner.

Para viagens internacionais, é muito mais complexo. Tem que ir no escritório do Ministério da agricultura que geralmente fica no aeroporto da cidade da onde você viaja, pegar o papel, preencher e pagar uma taxa. Esse papel muda em função do destino e exige condições diferentes.

O site do Ministério da agricultura brasileiro oferece todas as informações:

 http://www.agricultura.gov.br/animal/noticias/2010/12/autorizacao-para-viagens-de-caes-e-gatos

O que complica é que não somente tem que preencher esse papel antes de sair do Brasil, mas também tem que refazer o mesmo processo na volta. Isso significa que se você viaja de Nova Iorque, se tem que ir no aeroporto JFK onde fica o escritório oficial, em Montreal, perto do Parco Olímpico a uma hora de carro de downtown, e em Paris, no aeroporto de Charles de Gaulle.

Minha dica : se você vai viajar para menos de 7 dias, não vale a pena levar seu fofinho. Porque fazer o papel na ida já vai demorar 2 ou 3 horas e na volta, vai tomar quase um dia. Anedota : varias vezes, tínhamos todos os papeis preenchidos e em regra e o atendente da alfandega nem verificou nada (França e Brasil). Pelo contrario, na chegada nos Estados Unidos ou no Canada, fuimos orientados diretamente no controle pois obviamente declaramos que viajamos com cachorro. Depois de dar uma olhada rápida ao certificado de vacina, eles deixaram passar sem nenhum problema.

A sacola certa : para viajar na cabina ou no porão, qualquer sacola não da. Tem que investir.

Em cabina, depois de ter experimentado dois tipos, a melhor marca que achei é a marca americana Sherpa que se acha em todos os Petco dos Estados Unidos. Ela é flexível, leve e permite se encaixar em quase todos os aviões do mundo. IMG_7048Em cabina, a sacola do « pet » tem que ficar fechada em baixo da cadeira de frente. Também, essa sacola tem que corresponder as regras da companhia aérea e tem que respeitar os tamanhos permitidos. Na hora de reservar, as vezes, tem que comunicar as medidas da sacola.

No porão, tem que ter uma caixa respeitando as regras de transporte no porão. Ela tem que ser em plástico duro para proteger o animal e de um tamanho que permite a ele de ter um espaço suficiente para mover (mesma coisa com a sacola de cabina).

Anedota: Achille fica muito tranquilo no avião e dorme o tempo inteiro. O único momento delicado vem na hora da refeição. Com o cheiro de comida e o barulho do serviço, aí, ele não aguenta e pula o nariz na abertura de cima da sacola para pedir um pedacinho de sanduiche. Nessa situação, tenho duas táticas, ou eu ignoro e não como na frente dele (eu como só quando ele voltar a dormir) ou eu compartilho com ele uns pedacinhos mas com muito discrição porque se um atendente me ver, pega fogo!

Acostumar seu cachorro a viajar 

A melhor forma de ter seu amiginho bem treinado é de acostumar ele desde pequeno a viajar, no inicio no carro com você, e depois no avião. IMG_6924Outro truque fantástico é de usar a sacola de viagem como a casinha dele onde ele fica sempre, todo dia. Desse jeito ele não muda de ambiente e fica com o cheiro dele, o que é essencial para ele. Então em qualquer lugar que você vai levar ele, vai na casinha dele. Muito menos traumatizante! Lembre, o cachorro não pode viajar no avião antes de 4 meses, data mínima para ter a vacina contra a raiva. Então se seu bebezinho esta muito jovem ainda, melhor viajar de carro ou esperar até ele ser vacinado.

Remedio ou não

Achille nunca tomou nenhum remédio apesar de ser da raça bem agitada dos Dachshunds. Sendo acostumado e viajando na casinha dele, ele nunca mostrou nervosidade. Ele latiu uma vez no aeroporto de Miami quando ele viu outro cachorro. Tudo mundo ficou surpreso na sala de embarque porque ninguém tinha reparado ele e de repente quebrou o silencio com um grito muito alto. Tudo mundo deu risada e fiquei vermelha de vergonha e surpresa!

No avião, uma vez que as luzes estão apagadas, seu animal vai ter uma vontade de dormir, igual a você!

Ele não vai querer ir no banheiro?

Não vai. E ele não vai fazer xixi na casinha dele porque cachorro nunca faz as necessidades no refugio dele, isso por razão de instinto de sobrevivência mesmo (ele não pode dar aos predadores sinais de presencia; por isso, desde a pré-história ele DSCN0296sai longe do refugio para isso). Mas para ele aguentar, tem que observar algumas regras sobre tudo para os voos internacionais longos. Primeiro, não pode comer mais, nem beber, algumas horas antes de ir para o aeroporto. Desse jeito não vai ter vontade.Segundo, ele tem que passear para fazer tudo – isso é muito importante- uma vez ou duas vezes antes de entrar definitivamente do lado da sala de embarque. Aconselho de fazer o check-in e depois disso, sair uma ultima vez, num lugar inspirador para ele, para fazer um ultimo passeio. Para voos de menos de 5 horas, esta ok. O cachorro aguenta uma hora por mês de idade até um ano. Quer dizer que se ele tem 6 meses, aguenta 6 horas. Um ano, até 12 horas! Achille viajou varias vezes para Paris e aguentou 11 horas. Obviamente na chegada tem que correr para fora porque ele tem que sair pobrezinho!

 Alugar um apartamento num hotel.

Não tem muitos hotéis que aceitam os cachorros no Brasil. Tem muito mais na França. Eu tive muitas dificuldades IMG_9811de achar e sempre achei que os hoteleiros teriam que pensar um pouquinho mais sobre isso porque é uma ferramenta de marketing fantástica para atrair uma clientela que pode ser muito grata e voltar sempre. Mas os hotéis chiquerrimos e caríssimos aceitam. Escreverei em outro post sobre isso e os lugares que experimentamos.

Uma vez que você chega no quarto, seu amorzinho vai visitar o lugar inteiro. Mostra bem o lugar onde ele pode fazer as necessidades colocando ou o papel jornal ou tapete que ele costuma usar. Idealmente, os pratos de comida e agua dele tem que ficar num lugar diferente. A casinha dele perto em direção da porta pois ele precisa controlar a situação! Quando sair do quarto sem ele, aconselho de deixar ele no banheiro, com casinha e agua, para evitar qualquer desastre na cama que ele poderia fazer – de raiva ou de desespero de ter sido abandonado num lugar esquisito. Isso evita a vergonha de enfrentar a camareira ou pior o gerente. Obviamente, ele ficara muito pouco no quarto sozinho pois “tudo isso para isso” não vale a pena!

Boa viagem! 😉

IMG_9532

Achille conosco no Metrô parisien

4 replies »

  1. Oi tudo bem? Você já viajou de Air France com seu Achille? Por acaso você sabe as medidas da bolsa permitida? Tenho que viajar para o Brasil com minha shitzu e não estou encontrando esse informação em nenhum lugar.

Deixar um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s